Notícias

Geral

Tecnologia

E se você não for o que (ou quem) diz ser?

por Comunicação Empresarial do Serpro - Porto Alegre — 27 de outubro de 2017
Como QR Codes avançados podem ajudar na autenticação de documentos

Conte até quinze. Conte de novo. E de novo. E de novo, sem parar, o dia todo, o ano inteiro: é com essa frequência média de 15 segundos que acontece a situação de alguém tentar cometer uma fraude utilizando um documento falso, no Brasil. É muita tentativa de faltar à verdade, um problemão.

Para complicar, a generosidade da internet serve ao bem e ao mau: é muito fácil encontrar modelos de documentos de qualquer tipo, além de uma infinidade de dados que podem ser usados para os falsificar.

Até há pouco tempo, o lado bom da força só podia buscar ajuda também via internet para fazer a checagem de um documento e verificar se uma pessoa é quem (ou o que) diz ser. Conectando-se a uma instituição era possível comparar os dados apresentados aos dados originais.

Mas… e onde não tem nem sinal de internet? Em uma estrada nos interiores do país, por exemplo: como um guarda poderia conectar dados do Denatran para verificar a foto da carteira de habilitação de um motorista?

Ora, com um Código de Resposta Rápida — em inglês, QR Code, ou Quick Response Code: essa figura bidimensional onde normalmente se pode codificar informações, como já nos acostumamos a ver em mercadorias e propagandas. O problema é que QR Codes normalmente armazenam um link, que exige rede para acessá-lo.

Com QR Codes tradicionais, restava essa questão: a necessidade de internet. Foi então que o Serpro deu o pulo do gato, ou melhor, do lince. Porque seu sistema, não por acaso chamado Lince, conta com um QR code avançado, que pode comprimir uma quantidade maior de informações, superior à de QR Codes tradicionais. E, o melhor, off-line. Incluindo imagens, algo inédito na praça, devido à dificuldade de comprimir toda a informação que uma foto demanda. Assim, graças a essa inovação, nosso guarda pode ter acesso à carteira de motorista com todas as informações, mesmo em locais sem acesso à internet.

Como se conseguiu isso? Com muita fumacinha saindo de várias cabeças, em um processo de pesquisa abrangente que resultou em algoritmos exclusivos. Valeu o esforço: a carteira de motorista com QR Code já se configura como um caso de sucesso em tecnologia da informação.

O problema do guarda não é só do guarda

A questão de poder verificar a autenticidade de um documento, contando com a possibilidade de consultar imagens off-line e uma grande quantidade de informações, é importante não só para o Denatran, Departamento Nacional de Trânsito, o primeiro cliente do Lince. Verificar a autenticidade de uma certidão que indica a posse de um imóvel rural, também lá nas partes do Brasil onde ainda não há internet, ficaria bem mais fácil. Documentos como certidão de nascimento e certidões de toda espécie poderiam ser verificados. O sistema de ensino como um todo poderia ser beneficiado com o Lince em seus diplomas - assim como uma faculdade que resolva, ela própria, aumentar a segurança de seus documentos e facilitar a busca por informações acadêmicas.

O Lince é um produto do Serpro que pode colaborar de modo a que instituições das mais variadas confiram mais segurança a seus documentos, ao mesmo tempo em que facilita o rápido acesso a informações - o que pode aumentar em muito a lucratividade dos negócios. Ou, se for o caso, a efetividade de projetos com outros fins, que não lucrativos. Fique à vontade para contatar o pessoal do Serpro e saber como essa tecnologia pode ser utilizada em sua instituição.

Contato