Notícias

Geral

Segurança da Informação

Uma tecnologia fundacional e basilar

por Comunicação Institucional do Serpro - Curitiba — 16 de agosto de 2017
Segunda QuartaTec traz discussão sobre blockchain com mercado, setor público e sociedade
QuartaTec - segunda palestra

Ciclo de palestras acontece nas quartas-feiras do mês de agosto, no Serpro

Representantes do setor público, do mercado e da sociedade civil apresentaram, nesta quarta-feira, dia 16 de agosto, suas visões sobre a tecnologia blockchain, na segunda QuartaTec promovida pelo Serpro. O evento, ocorrido no auditório da sede da empresa, em Brasília, apresentou um consenso estabelecido entre todos os participantes, que é o de que a tecnologia veio para ficar e tem potencial para aplicação em áreas além daquelas previstas em sua concepção.

Os palestrantes Gustavo Paro, da Microsoft, Aristides Cavalcante, do Banco Central, e Gabriel Aleixo, da A Star Labs, abordaram o assunto, com a mediação do analista Marco Túlio Lima, do Serpro, que também ajudou a contextualizar o assunto. O representante da Microsoft abriu as atividades, apresentando as perspectivas do mercado sobre o assunto, começando com suas origens entre grupos libertários que buscavam uma alternativa anônima e segura para transações financeiras.

Segurança

O analista da Microsoft apresentou uma pesquisa, feita pelo Fórum Econômico Mundial, que prevê que até 2025 critptomoedas baseadas em blockchain representarão 10% do PIB mundial. Mas ele acredita que é possível que a tecnologia pode possibilitar bem mais do que isso, como aplicações no setor público. "Hoje em dia a tecnologia é madura o suficiente para ser considerada no platô de produtividade", afirmou, apontando o fato de ela ter chegado em um número estável de usuários.

Gabriel Aleixo, da A Star Labs, uma startup que faz uso da tecnologia, e também contribuidor do projeto Mudamos, de recolhimento de assinaturas para projetos de iniciativa popular, acredita que o blockchain pode ter aplicações em rastreio de produtos de agronegócio, serviços digitais de notas e registros, e até mesmo iniciativas de democracia direta, dada a segurança envolvida e já existente em criptomoedas. "Os gastos de burlar os sistemas são maiores que os ganhos de ajudar em sua segurança", explicou, ressaltando a importância do papel dos usuários na manutenção das redes.

Já Aristides Cavalcante, do Banco Central, apresentou aquela que pode ser uma das primeiras iniciativas do setor público brasileiro de uso de blockchain. Trata-se de um protótipo de sistema alternativo de liquidação de transações, permitindo que trocas de valores entre bancos possam ocorrer de forma quase independente do Banco Central, caso este fique impossibilitado de conduzi-las. "O BC continuará os estudos sobre a tecnologia e a colaboração é ponto chave para acelerar nosso aprendizado sobre ela", disse.

O que é blockchain

A tecnologia blockchain consiste em uma cadeia de blocos de dados que guardam um histórico de transações. A segurança das transações é garantida pelo fato de que cada bloco, e suas alterações, estão referenciadas no bloco anterior. Desta forma, é impossível alterar um bloco sem alterar todos os outros anteriores no chamado "ledger", ou livro-razão, de transações. A maioria das redes de blockchain prevê segurança e privacidade no processo de troca de dados, qualquer que seja sua natureza.

A QuartaTec

A QuartaTec é um evento organizado pelo Serpro e que traz discussões sobre novos caminhos a serem seguidos em TI. É aberta ao público externo, ocorre todas as quartas durante o mês de agosto e já abordou, no último dia 9, o tema Máquinas Inteligentes. As próximas edições ocorrerão no dia 23, com o assunto "Big Data Analytics", e dia 30, falando sobre Internet das Coisas. Inscreva-se!

Gravação

A íntegra da gravação desta segunda QuartaTec está disponível pelo Assiste - Video Streaming Livre. Confira!

Contato