Notícias

General

Tendência

Blockchain é a nova aposta tecnológica do Serpro

por Comunicação Empresarial do Serpro - Brasília — 20 de abril de 2017
Palestra com especialistas de grandes empresas de TI foi a primeira ação para dar início ao novo ciclo de inovação na estatal

Evento foi realizado na Sede do Serpro, em Brasília

Considerada uma das dez principais tendências tecnológicas para o governo pela empresa de consultoria e pesquisa em TI Gartner, o Blockchain é uma das apostas em inovação para o Serpro, empresa de tecnologia da informação do governo federal. Para discutir o tema, foi realizada palestra pela estatal de TI em parceria com a Brasscom, Associação Brasileira das Empresas de TIC, em Brasília, nesta quinta-feira, 20 de abril.

A tecnologia é uma estrutura de dados que permite realizar e verificar transações instantaneamente, de maneira confiável e sem necessidade de intermediários. A proposta para trabalhar com essa tecnologia faz parte de um dos eixos de inovação do planejamento estratégico da empresa. "O Serpro vem em um processo de transformação muito forte, principalmente para prestar melhores serviços para o governo. O blockchain é uma dessas possibilidades. Aliado com soluções que já oferecemos, é possível gerar ainda maior segurança nas informações", disse o diretor de Operações do Serpro, Iran Porto Júnior.

Por ser um sistema de registro que garante a segurança das operações realizadas por criptomoedas – as Bitcoins, o Blockchain ganhou a atenção de grandes empresas. O diretor na Campgemini e especialista em digital transformation, Daniel Rocha, foi um dos palestrantes do evento e abordou as várias aplicações da tecnologia.

“Só no setor público, ela permite estabelecer identidades digitais on-line, criar plataformas de votação eletrônica, tornar mais transparente os processos licitatórios, oferecer uma nova esfera de segurança e novas modalidades de serviços para aplicações de Internet das Coisas (IoT), entre outras possibilidades”, enfatizou Daniel.

Segundo ele, o fato do Blockchain ser descentralizado e não precisar de intermediários o torna extremamente seguro, pois as transações são validadas por vários nós. “O sistema pode realizar a checagem devido a uma cadeia de blocos que registra as informações. Se eu tento alterar uma transação, ele invalida todos os blocos na sequência. Seria necessário mudar e comunicar a todos os blocos seguintes. É por isso que ele é considerado um sistema de segurança, mesmo que seja uma rede descentralizada”, explicou o especialista.

Modelo de negócio

Na ocasião, além do uso e das repercussões do Blockchain, a palestrante Emanuela Ramos, da Resource, falou sobre a transformação digital como modelo de negócio, que vai além da automatização de processos.

Ao final do evento, o diretor Iran Porto convidou a Brasscom, representada pelo presidente executivo Sergio Gallindo, para compor uma agenda técnica de discussão e de trabalho, a fim de estudar a aplicação do Blockchain em um caso concreto na empresa.

O Blockchain é uma das propostas de inovação. Além dele, o Serpro está investindo em Big Data Analytics, Internet das Coisas (IoT) e Máquinas Inteligentes.

Contato